Notícia da VidaVale

Home > Maio Roxo

Maio Roxo


19 de maio é Dia Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais, ou DIIs, um grupo de doenças que ainda não possuem causa totalmente conhecida, mas que atinge cerca de 5 milhões de pessoas no mundo todo. As DIIs não têm cura, são crônicas e, em alguns casos, debilitantes, chegando a causar prejuízos na vida social e produtiva de seus pacientes.

Pensando em difundir conhecimento sobre o problema e promover a qualidade de vida das pessoas que precisam conviver com a doença, a campanha mundial Maio Roxo foi instituída, dando a oportunidade para que as pessoas discutam, entendam e deem apoio aos portadores de Doenças Inflamatórias Intestinais.

À exemplo do que acontece com o Outubro Rosa, que conscientiza sobre o Câncer de Mama, O Maio Roxo promove atividades, encontros e outros eventos por todo o mundo, além de iluminar grandes monumentos em diversas cidades. Em 2019, no Brasil, serão iluminados O Cristo Luz, em Balneário Camboriú (SC), a Universidade São Francisco, em Bragança Paulista (SP) e Hospital do Servidor Público Municipal e Hospital Carmen Prudente, ambos na cidade de São Paulo.

Entendendo as DIIs – As Doenças Inflamatórias Intestinais englobam algumas enfermidades como a Retocolite Ulcerativa e a Doença de Crohn, que se comportam, muitas vezes, de forma semelhante. Atingindo homens e mulheres de qualquer faixa etária, as DIIs manifestam-se geralmente entre os 20 e 40 anos de idade. Sua principal característica são episódios crônicos e recorrentes de inflamação.

A Doença de Crohn é uma inflamação crônica do aparelho digestivo, que afeta todas as camadas do órgão e pode se manifestar desde a boca até o ânus, sendo mais comum no ânus ou porção final do intestino delgado. Alguns sintomas geralmente relatados envolvem diarreia, cólica abdominal, sangramento retal e febre. Perda de apetite, perda de peso e infecções repetidas no ânus também podem acontecer. Já a Retocolite Ulcerativa afeta a mucosa do intestino, causando inflamação e ulceração do cólon e reto. Os pacientes relatam diarreia, com ou sem sangramento retal, e dor abdominal.

Para realizar o diagnóstico o médico deve considerar o histórico clínico, exames físicos, laboratoriais e de imagem, complementados por endoscopias e biópsias. Atualmente, o tratamento das Doenças Inflamatórias Intestinais se concentra no controle dos sintomas, e tem o objetivo de proporcionar qualidade de vida a seus pacientes.

Top Top